ÚLTIMAS NOTÍCIAS

 


SÃO LUÍS - Reunião discute medidas para combater abate clandestino de animais/v02/detalhe_no


 
O Centro de Apoio Operacional do Consumidor, do Ministério Público do Maranhão, realizou na manhã desta sexta-feira, 23, uma reunião, na Procuradoria Geral de Justiça, com o objetivo de discutir um plano de ação contra o abate clandestino de animais em todo o Maranhão, permitindo o acesso da população à carne com procedência certificada. A audiência foi coordenada pelo promotor de justiça Nacor Pereira dos Santos, coordenador do CAOp/Consumidor.

Uma das propostas do encontro foi atualizar o Termo de Cooperação Técnica, firmado pelo Ministério Público do Maranhão com a Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged), estabelecendo novos cronogramas e metas, para aperfeiçoar o trabalho e alcançar melhores resultados.

Também foram discutidos parâmetros para o Termo de Ajustamento de Conduta a ser assinado entre a Aged e os Municípios, com a mediação do MPMA, para fiscalizar, adequar e regularizar os pontos de abate e os açougues existentes em cada cidade do estado. O objetivo é propor a transferência da responsabilidade dos abatedouros para os Municípios e criar o Serviço de Inspeção Municipal (SIM).

De acordo com Narcor Pereira dos Santos, existem no Maranhão poucos locais de abate que preenchem os requisitos exigidos pela legislação e a ideia da reunião foi discutir com os órgãos que detém o poder de interdição estratégias para conscientizar a população e os setores comerciais envolvidos com a prática, sobre o perigo do consumo de carne clandestina. “Estamos preocupados com a saúde pública, com a qualidade dos alimentos, defendendo o interesse dos consumidores”, enfatizou.

O plano também pretende combater as perdas econômicas decorrentes da comercialização de produtos sem registro e implementar políticas públicas de segurança alimentar e de educação sanitária.

Além do MPMA e da Aged, estiveram representados na reunião a Secretaria da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Sagrima), a Superintendência Federal de Agricultura e o Sindicato dos Servidores da Fiscalização Agropecuária do Estado do Maranhão (Sinfa).

Do Ministério Público do Maranhão, igualmente estiveram presentes os promotores de justiça Alessandra Darub Alves, Claudio Borges dos Santos e Karine Guará Bruzaca Almeida, coordenadores regionais do CAOp, respectivamente das regiões da Baixada Maranhense, Lençóis Maranhenses e Santa Inês.

SEM REGISTRO
Na ocasião, a fiscal da Aged, Geane Viana de Carvalho, apresentou um levantamento da situação dos pontos de abate de gado do Maranhão. No momento, existem 372 pontos de abate, em todo o estado, sem qualquer registro formal, sendo 12 em Açailândia, 6 em Balsas, 32 em Bacabal, 7 em Barra do Corda, 32 em Caxias, 17 em Chapadinha, 5 em Codó, 41 em Itapecuru-Mirim, 9 em Pedreiras, 25 em Pinheiro, 9 em Presidente Dutra, 37 em Rosário , 17 em São João dos Patos, 17 em Santa Inês, 7 em Imperatriz, 79 em Viana, 4 em São Luís e 16 em Zé Doca.

Conforme a apuração da agência, do total, existem abatedouros viáveis em Açailândia, Vitorino Freire, Barreirinhas, São Luís Gonzaga, São João dos Patos, Colinas, Porto Franco, São Bento, Paraibano, Guimarães, Itapecuru-Mirim, Passagem Franca, Anajatuba e Barra do Corda.


Redação: CCOM-MPMA

     

 
 
 
 

 

 
 
FACEBOOK



     
 
ARTIGOS RECENTES

     
  O neoliberalismo decretou o fim do caminho do meio
João Sicsú

Os mais pobres já... Leia Mais

   
     
  O desmanche da lei trabalhista e a terceirização da atividade-fim
Álvaro Quintão

As razões apresentadas nos 4 votos proferidos da mais alta corte, subjuga... Leia Mais

   
     
  Voto Consciente
Francisco Saraiva Júnior

Está instalado o processo eleitoral de 2018, que culminará com a... Leia Mais

   
 

 
SOBRE O SINFA DIRETORIA NOTICIAS AREA DO FILIADO
ESTATUTO LEGISLAÇÃO ARTIGOS FALE CONOSCO
FILIAÇÃO CONVÊNIOS    

©2016 | SINFA - SINDICATO DOS SERVIDORES DA FISCALIZAÇÃO AGROPECUARIA DO ESTADO DO MARANHÃO
DESENVOLVIDO POR: WEBAG - AGÊNCIA DE WEBDESIGN